CONHEÇA: "REZADEIRA - O CASO DA FAMÍLIA CABRAL"

Resenha do livro "O Medo e a Coragem", por Janaína Starling

Fotos: Carlos Rodrigo
O Medo e a Coragem, publicação nacional de 2017 da EIS Editora, é um poema escrito por Janaína Starling, com ilustrações do Laz Muniz. Em 20 páginas, estrofes e imagens conversam harmonicamente sobre um assunto delicado e difícil  para o público ao qual se direciona, porém extremamente necessário: abuso sexual de crianças e adolescentes. Logo no início, o leitor é apresentado à protagonista, Maria, que tem os pais divorciados e mora com a mãe. Maria não tinha medo de nada, absolutamente, até que seu tio passa a morar na casa dela. Ela - e muito menos a sua mãe - jamais imaginou que o tio Venceslau poderia fazer tamanho ato de horror.


São notórios os detalhes inteligentes, desde os verbos utilizados até os substantivos próprios, na construção do poema, que segue com boas rimas e métrica em cada estrofe. "Os dias foram passando... | Maria não sabia o que fazer. | Sua mãe, sempre trabalhando, | não queria perceber. | O tio ameaçava, | e o medo aumentava. | Maria se entristecia | e murchava a cada dia." (pág. 10). Veja bem: sua mãe não queria perceber. A escolha do verbo 'querer' é bastante significativa. A mãe, no fundo, no fundo, sabia, entretanto não queria acreditar que alguém tão próximo da família, tão simpático e "amoroso", estivesse fazendo aquilo. A mãe se deixou guiar pela covardia. Outro ponto a se destacar é a escolha do nome Venceslau para o tio. No caso da protagonista, o nome foi escolhido claramente por sua popularidade; é como se qualquer uma pudesse ser Maria. Embora o nome Venceslau não seja da mesma forma popular, provavelmente foi usado com o mesmo objetivo, utilizando-se de outro artifício. São Venceslau é tido como um santo na igreja católica. Se até alguém com nome de santo, associado a uma figura de santidade, é capaz de ser um agressor, então, também, qualquer um pode o ser.



As ilustrações do Laz Muniz são simplesmente impecáveis. Elas seguem técnicas da linguagem visual para dar expressividade às cenas, as diferenças de tamanho, os ângulos, a cor. As cores mais frequentes são azul, amarelo, vermelho e verde (principalmente amarelo e azul), que são cores complementares no círculo cromático, ou seja, cores que formam uma combinação ideal entre si, tornando as imagens agráveis ao olhar. Os semblantes desenhados dos personagens são marcantes, estão carregados de sentimento, formam as companhias perfeitas para os versos escritos.

Livros infantis são muito importantes. Quando nos deparamos com problemas sociais, no meio dos argumentos para solucioná-los sempre está o velho "temos que acabar o mal pela raiz", e fazer isso seria justamente impedir que o problema se desenvolvesse ou de fato o surgimento dele, que na maioria das vezes ocorre na infância. Análises psicanalíticas dirão que um agredido pode vir a ser um agressor em potencial. No artigo "Visão atual do abuso sexual na infância e adolescência", Luci Pfeiffer e Edila Pizzato Salvagni escrevem que "a vítima, ao se igualar com o seu agressor e se converter em molestadora, torna o abuso sexual um legado passado à próxima geração de vítimas". O problema, então, seria um ciclo. Punição para os agressores é sem dúvida importante. Porém também é primordial proporcionar segurança para as nossas crianças, independente de qualquer coisa. Por meio da educação poderíamos evitar muito! Um livro lúdico que ensinasse as crianças a se protegerem é uma boa alternativa. Um livro que deixa claro o quão errado são os toques que ferem e calam, e como podem ser denunciados.

O Medo e a Coragem traz esse ensinamento para as vítimas e a leitura é indicada para todas as crianças, inclusive as que não sabem ler (pais, criem o hábito de ler para os seus filhos). Trata-se de uma boa maneira de estabelecer um primeiro contato com o assunto, uma vez que não são todos os adultos que tem facilidade para falar sobre ele com uma criança. Livros educativos como O Medo e a Coragem suavizam a atividade.

A autora, Janaína Starling, de João Monlevade, Minas Gerais, além de escritora é atriz, percussionista, cantora e compositora. O ilustrador, Laz Muniz, Atualmente, reside em Itabira/MG, terra do poeta Carlos Drummond de Andrade. Além de se dedicar às ilustrações para a literatura, também se destaca como autor literário e poético para a infância e juventude.

E você? Ficou interessado no livro? O que achou do tema? Já leu? O que tem a dizer sobre a leitura? Deixe seu comentário (;





Serviço

R$ 22,50 (Clique aqui para comprar)
Livro colorido e ilustrado. 
40 páginas. 
Miolo impresso em papel couché, 150g. 
Capa em papel duodesign, 250g.


Carlos Rodrigo

Escritor. Blogger. Graduando em Jornalismo. Autor do conto "Rezadeira - O Caso da Família Cabral".

Um comentário: