CONHEÇA: "REZADEIRA - O CASO DA FAMÍLIA CABRAL"

COMO PUBLICAR O SEU LIVRO COM UMA EDITORA NO BRASIL?

Imagens: google images
[Ei, antes de ler o post, clica aqui e se inscreve no meu canal. Vou começar um trabalho bem bacana lá com a mesma temática do blog ^^]

Vez ou outra chega alguém até mim e pergunta "como se faz pra publicar um livro?". A resposta parece ser básica: ou você entra em contato com uma editora e assina contrato, ou publica de forma independente. Eu já publiquei das duas maneiras (hoje prefiro independente) e digo: com toda certeza, o processo para publicação é mais complexo do que se pensa. Pretendo, em outro momento, falar sobre publicação independente, se vocês quiserem (digam nos comentários), porém este post é direcionado a falar sobre o mercado editorial brasileiro.


Como escolher a editora certa? 

Antes de começar a submeter o original, é necessário entender os tipos de editora que atuam no mercado e qual atende melhor as suas necessidades ou se adéqua melhor a sua realidade.

Editora tradicional - editoras tradicionais, ou comerciais, arcam com todos os custos de publicação e distribuição da obra. É mais difícil conseguir contrato com elas, porque apenas publicam aquilo que acreditam que irá surpreender nas vendas. Isso as faz criteriosas e autores iniciantes, anônimos na mídia, são raramente (para não dizer nunca), contratados. Um grande exemplo de editora tradicional é a Editora Intrínseca, que há pouco tempo só publicava livros internacionais, que já haviam feito sucesso fora do Brasil. As editoras tradicionais pagam de 10 a 20% das vendas de cada exemplar ao escritor.

Editora prestadora de serviços - este tipo de editora trabalha em parceria com o autor; os tipos de parceria variam, mas geralmente está no contrato que o autor deve arcar com determinados custos antes da impressão e distribuição (nem todas fazem distribuição) da obra. Que custos são esses? Bem, pode ser a aquisição de 50% da primeira tiragem (com desconto para o autor, ou seja, retirando cerca de 15% de direitos autorais, porém ainda assim pagando pela impressão e serviços da editora incluso em cada exemplar), o que possibilita a editora imprimir a tiragem completa. Sim, o pagamento de direitos autorais não difere muito do que é pago pelas editoras tracionais, por incrível que pareça. As editoras prestadoras de serviço podem ser, muitas vezes, gráficas que acabaram se especializando em produção editorial e marketing literário.

Existem editoras tradicionais com selos de publicação comercial, para que possam atender aos autores iniciantes sem correr grandes riscos. É o caso da Editora Novo Século, que abriu o selo "Novos Talentos da Literatura Brasilera" para atender tanto aos interesses da editora, quanto aos interesses do autor. Ao publicar com o selo Novos Talentos da Literatura Brasileira, a tiragem do livro será de, no mínimo, 1.500 exemplares e o autor deverá adquirir no mínimo 500 exemplares. Sim, isso significa investimento de milhares de reais.

Ao procurar uma editora, certifique-se de ler atentamente todas as informações do site para saber de que forma ela trabalha; antes de enviar o seu original, converse por email, tire suas dúvidas.

Como ser aceito por uma editora tradicional?

Não existe fórmula mágica. Para começar a carreira sendo publicado por uma editora tradicional, basicamente você precisa se encaixar nos quesitos listados abaixo:

- Você é famoso; seja você youtuber, blogger, ator, jornalista, cantor...
- O seu livro é famoso; se você publica na internet o seu livro inteiro, ou os primeiros capítulos (wattpad, por exemplo),  e ele chega a pelo menos um milhão de visualizações, o seu livro é famoso.
- Você é amigo de um famoso; se você é melhor amigo do Felipe Neto, certamente terá maior visibilidade por isso.
- Você conhece os editores que trabalham na casa editorial.

Se você não se encaixa em nenhum dos quesitos acima, seu original provavelmente será recusado. Isso não significa que o seu livro seja ruim, apenas que ele não é um produto em potencial para vendas aos olhos das editoras tradicionais, que são as maiores editoras do país. Bem, se você conhece os editores, ou conhece alguém que os conhecem, ao menos eles lerão o seu livro, as chances de um voto de confiança são maiores, anulando os outros requisitos da lista. Fora isso, não se encaixando na lista, lute para se enquadrar; divulgue a sua escrita, desenvolva a sua imagem, a imagem do seu livro para o seu público, publique seus textos na internet ou de forma independente... Quando você perceber, estará sendo aceito por uma editora tradicional, a questão é que já não será mais um escritor iniciante.

Veja também: "O que você precisa saber sobre o wattpad! Vale a pena usar?"

Como encontrar a editora prestadora de serviços ideal? 

Analise o site e redes sociais da editora, estude a proposta dela, converse com outros escritores que já foram publicados por a mesma. Algumas editoras prestadoras de serviço fazem uma seleção dos originais enviados, pois também se preocupam com a imagem da editora e visam o crescimento da mesma, porém são menos criteriosas; outras nem ao menos leem o que recebem. Fique atento a isso.

Galera, o post hoje foi esse. Espero que tenham gostado. Falei o básico sobre o assunto. Se querem que eu faça um post sobre publicação independente também, deixem nos comentários; comentários são importantes (não me deixem falando sozinho). Estou a disposição para tirar dúvidas também. Vocês podem entrar em contato comigo através do meu Instagram (@CcarlosRodrigo). Grande abraço e até a próxima.

Carlos Rodrigo

Escritor, fotógrafo, filmaker, graduando em Jornalismo, idealizador do Projeto Caça-fantasmas;.

3 comentários:

  1. Muito interessante o conteúdo de seu blog. :)
    Eu publiquei de ambas as formas. E apesar das vantagens da editora tradicional eu prefiro a publicação independente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio Keslley (:
      A publicação independente, realmente, pode ser uma opção muito melhor do que a maioria pensa.
      Volte sempre ^^

      Excluir
  2. Carlos , gostei muito de sua matéria . Realmente publicar livros no Brasil não era uma matéria fácil para escritores ainda desconhecidos da mídia . E digo não era , porque agora a ideia de auto-publicação digital inevitavelmente vai terminar virando uma tendencia . Eu mesmo já tenho dois livros e-books publicados , e não vejo porque parar .
    Sugiro a todos que enquanto não se tornarem famosos , esse ainda é o melhor caminho . E o melhor é que já existem editoras que fazem isso absolutamente de graça para o escritor que nela deseja publicar , tais como a Amazon e outras .

    Sandro Rodrigues ( Escritor Independente ) .

    ResponderExcluir